Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011

Meu impossível

Era uma manhã calma, só que ouvia era os pássaros cantando.
O que estampava  meu semblante, era uma tristeza que parecia não ter fim.
Era a vida arrancando meu ultimo fio de esperança, meu ultimo grito de amor.
Era o tempo ditando as regras, era a saudade arrancando alegria de mim.
Poetizar meu impossível?
Não!
Não existe mais argumento, meu impossível será minha triste e solitária historia de amor.

Minha poesia

Faço poesia como quem chora,
Faço um singelo verso pra informar que essa paixão não terá fim.
Com ela (a poesia) eu posso musicar meu sonhos e rir de mim mesma.
Naquela tarde quente só o que queria era mais que emociona-lo.
Eu queria dançar na linha do tempo e sentir que tô dentro de ti.
Minha poesia é meu "Eu" gritando em uma sala vazia.
Minha poesia chora com a lua, pedindo que essa distancia não exista.
Eu sou a vontade de acreditar
Eu sou aquela ciranda dos teus olhos
Com sua permissão, retiro-me da sua história e continuo na minha sala como quem chora rabiscando minha vida.

Madrugada

Na maioria das vezes em minhas madrugadas solitarias é sua presença que almejo.
Na maioria das vezes é o som da tua voz que preciso ouvir.
Na maioria das vezes me flagro pensando em você
E na maioria das vezes te sinto mais longe.
Eu não sei o que faço na maioria das vezes que sinto tua falta
Eu sempre tenho um poema singelo cheio de sentimentos verdadeiros
Mais na maioria das vezes... você não vê o que digo 

Será que é pra #todavida?

Minha poesia timida e cheia de coragem
Meus versos cheio de carinho
Meu coração cheio de.. (Ainda não sei explicar)
Minha boca cheia de vontade
Meu corpo cheio de desejo
E eu?
Vivo cheia de esperança.

Parei de olhar pro ceu

" E chega a noite, meu coração ...
ja bate como quem chora. Meu coração talvez tenha batido na porta errada.
Mais a noite dessa vez foi aliada,  a lua te levou até minha casa

 me mostrou a verdade e disse: deixa, que por essa porta voce não envade !
 Parei de olhar o ceu parei  de verdade



Eles

Vivo com loucos e gênios
Durmo com desejos e acordo com idéias
Penso palavra e vejo poesia
Me  inspira o encontro da nossa coletividade
E com eles divido meus sonhos
Seres que se não existissem, os  inventaria.