Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2011

Minha prece

Eu choro em  ioruba...
Pedindo a Obatalá que arranque o amor que teima em crescer em meu peito.
Que me tire dessa tristeza sem tamanho,
E que me leve de volta ao meu caminho, o qual me permitir sair.
Eu rezo a Jorge meu pai protetor, que tire do peito dessa Preta...
Toda essa dor.

“Eu moro de amor pra tentar reviver”

O Francisco

Em meio a tantos sonhos, foste minha realidade
Em meio a tantas tristezas, foste minha alegria
Entre pássaros e o silencio, foste meu canto de paz.
Entre o suspiros dos casais e iludidos, foste minha certeza
Entre tantas poesias, foste meu inspirador
Na solidão da minha varanda, foste minha melhor companhia
Entre um grande poema e um simples verso
Você e o reverso.
E de você de tudo ficou um pouco, ficou um pouco de luz e esse teu áspero Silêncio
Se de tudo ficou um pouco, pergunto-me e com ele, acaso ficou um pouco de mim?

Ps: Dedico a um Menino doce, que transformou meus versos.

Brincadeirinhas de Muié

Nas brincadeirinhas do desejo
Me perco nas entrelinhas do beijo.
Sussurro em teu ouvido,
Vontades, devaneios, desejos.
Seus suspiros me embriagam
O céu e nosso cúmplice
A lua envergonhada retira-se
O êxtase dos corpos nos prende naquele instante.
Ele pergunta: O que você quer?
Eu respondo:  Me satisfazer!
Ele vai e me deixa com vontade,
Volta e pergunta:
Acaso esqueceu do coração?
Eu respondo: Nao se prenda ao coração,
Deixe fluir sem preceitos a mulher que deseja te possuir.

A sorte triste de Tereza

Contarei uma historia de tristeza,  A Flor, o Rapaz e Tereza . Tereza amava o Rapaz. Mais ele tinha uma flor que amava demais. 
Tereza tinha sua poesia. O rapaz usava sua musica pra eternizar sua flor. Tereza sabia e respeitava esse amor.
Tereza se apaixonou e chorou noites e noites com seu computador. Enquanto o rapaz  sempre dizia que amor a Tereza  nunca prometia  E que livre vivia com sua flor.
Um dia a Flor se entristeceu e o rapaz se escondeu. Tereza se conformou, não poderia se comparar a flor
A quem o rapaz musicou a historia de seu amor.

Tereza perdida se escondeu
O rapaz vive feliz com sua flor.
E o amor, pela porta de Tereza nunca mais passou
E assim a poeta contou a triste sorte Tereza
Em busca daquele amor

Procura-se um cabra Macho

Eu procuro um cabra macho.
Mais não qualquer um, tem ser dos diacho.
Procuro um cabra homi la das brenhas do Sertão
Que não tenha medo de segurar minha mão

Eu quero um cabra homi que mate minha fome
E que satisfaça meu desejo de muié
Que tenha o poder de deixa minha noite alumiada.
Eu procuro um Poeta cantador
Que não tenha só desejo, mais que viva de amor.

Nas andanças da vida o que mais encontrei foi cabra froxo
Eu inté encontrei  um cantador
Mais diacho era passarinho bateu asas e voou



Sentimento a flutuar..
Sinto necessidade de falar
Ensinamentos dessas andanças
Sorri de prazer por te conhecer.



Coisas de Menina Muié e memorias de um menino doce